domingo, 22 de setembro de 2013

GILGAMESH, O PRÍNCIPE CALDEU DE TODOS OS HERÓIS, por Artur Felisberto.

 

Segundo Pierre Lévêque “contestada durante muito tempo, a historicidade de Gilgamesh já não pode ser posta em dúvida. Sabe-se que restaura um templo em Nippur e se torna senhor de Kish pela vitória sobre Aka.”

clip_image002[1]

Figura 1: Guilgameche em versão assiria.

O simples facto de este herói ser representado com uma cria de leão ao colo, que parece destinada ao sacrifício, faz Gilgamesh uma inevitável figura mítica relacionada com a deusa mãe. Por outro lado, sendo o leão um símbolo da força solar do meio-dia este herói, tal como Hércules & o leão de Nemeia são uma referência indirecta ao Zodíaco do «leão».

Assim, Gilgamesh, tal como o mito grego de Hércules, que em parte pode ter também um fundo histórico verdadeiro, deve ter feito parte de um ciclo mítico de grande êxito dramático, pois que, ainda hoje o consegue alcançar! Ora bem, por feliz acaso de baptismo ou por “nome de guerra” o certo é que outros heróis do mesmo nome se podem suceder na história procurando honrar o herói do paradigma de referência! Ora, nestes mitos de caserna o Herói deve ter sido o próprio Deus dos exércitos, que no caso sumério era Erra ou Nergal e teve Gilgamesh por representante histórico adequado na antiga Suméria.

Gilgamesh (= Bilgamesh, = Galgamishul, previously read Izdubar): King of Uruk, son of Lugalbanda and Ninsun in the Epic.  Name may mean "The old man is a young man" in Sumerian.  Listen with gods in very early texts.  Late epithet: "King of Earth".

Gilgameche < Kirka(l) mesh , => lit. «Gil Gomes», o príncipe de Gil-ga

Supostamente a tradução literal seria assim equivalente a «adulto com espírito jovem», metáfora do seu carácter de herói jovial e generoso nas acções, temerário e insubmisso nas atitudes e, por tudo isto, radicalmente honesto e justo tal qual como seria um eterno adolescente. no entanto tal tradução só seria válida para a forma Bilgamesh, que é perfeitamente plausível como alternativa a Gilgamesh pois de facto Bil & Gil ainda hoje poderiam ser confundidos.

Como em sumério miš, mèš = young man; prince; son; e Bil-Ga = Ancestor; Elder => Bilgamesh = Um antepassado/velho principe => que tanto poderia ser um antigo principe lendário, como um velho que se portaria como jovem = alguém que já tinha idade para ser rei e é ainda principe.

Izdubar was a hero of ancient Babylonia. He has feats similar to those of Hercules ascribed to him.

Ora bem! A única forma de fixar os sentidos do nome é procurar encontrar o contexto adequado para uma possível tradução. Desde logo procurando saber se de fato se trata dum nome próprio ou dum epíteto contextual. Pois bem, o simples facto de se avançar que o nome foi já lido como Izdubar, seguramente o mesmo que foi tido comportamentos de Hércules pelos babilónicos, significa que talvez estejamos de facto perante um epíteto, ou pelo menos uma variante semi-litral dum nome traduzível.

(Asdrubal <) Izdubar (< Ash Tubal > «Setubal») < Ish-Wardo > Eduardo

A forma Galgamishul aponta para a hipoteze de ter sido outrora, ou pelo menos, poder ter sido mais adequadamente Gal-Kami-Iscur => Iscur Gal-Kame => Ker Kal mesh > Her Kal mesh = «jovem Hercules» (1), o que, além do mais, nos ressoa, de forma estranha, ao nome de Harpocrates, o deus «Horus Criança»! Dito de outro modo, o nome verdadeiro do herói poderia ter sido Izdubar (tão heróico como viria a ser o de Eduardo!) precisamente por se poder demonstrar que tal nome teria a mesma origem do de Hércules, o deus que transportava o sol às costas, de monte em monte, qual S. Critovão, ao longo do dia. Aliaz, Ishdubar seria uma forma ilitiva de *Iscurdubal > Kurishdubal > Craristobol > Esp. Critobol > «Cristóvão»!

O nome de Hércules contem a raiz *her-, que tem, como se viu, tem o significado de exército, e de Kaures > Koures que, segundo Bernard Sergent[1] corresponde à forma de uma ”invocação arcaica duma divindade cujo nome se situa muito perto das duas formas kouros (kóros), kourès (kórès) o que acaba por demonstrar a sua estrita afinidade.”

Do mesmo modo que Gilgamesh na Suméria, Hércules pode ter sido nome de personagem real que deve ter tentado fazer juiz à fama do nome da antiga personagem do mesmo nome. Claro que Gilgamesh, apesar da anterioridade da cultura caldeia sobre a grega, não é o antepassado fonético de Hércules. Tanto a semântica quanto a mitologia zodiacal dos «dose trabalhos de Hércules» deve ser muito mais antiga remontando possivelmente ao neolítico como adiante se verá.

 

 



[1] ver o cap. Kar

Sem comentários:

Publicar um comentário